7 dicas para abrir uma franquia

Abrir uma franquia não é trivial. Requer tempo e paciência e uma série de aspectos que você deve completar perfeitamente para não falhar. Portanto, oferecemos 7 dicas básicas que você deve conhecer antes de abrir uma franquia e que deve superar se quiser administrar um negócio rentável e bem-sucedido.

1. auto-avaliar as nossas qualidades, capacidades e aptidões

Se você já tomou a decisão de que a melhor maneira de iniciar um negócio é sob a fórmula do franchise, o primeiro exercício que você tem que realizar é uma auto-análise pessoal profunda que lhe permite saber se as suas qualidades e capacidades são as ideais para se tornar um franchisado. A primeira das diretrizes a serem definidas ao iniciar um sistema de franquia é querer se introduzir no mundo dos negócios com tudo o que isso implica.

Certifique-se de que suas características e circunstâncias pessoais são as mais adequadas, assim como sua situação financeira e pessoal, habilidades profissionais, etc. Procure o apoio de sua família, pois você precisará se sentir constantemente apoiado ao longo de todo o processo.

Conheça a sua capacidade de investimento, se precisa de instalações, se está disposto a seguir as directrizes estabelecidas pela sede, se procura mais do que benefícios económicos, se a franquia que pretende existe, etc. Tenha em conta, também, as consequências em todas as áreas, caso o negócio não funcione como você deseja. Uma resposta honesta permitir-lhe-á ver mais claramente se a sua atitude e circunstâncias particulares são as necessárias para aderir a uma franquia.

2. Conhecendo a nossa capacidade de investimento

Antes de seleccionar a forma como vai financiar a sua franquia, é de vital importância desenvolver um plano económico que clarifique quanto é o dinheiro total que precisa e quanto tem… ou seja, desenvolver um plano financeiro é de vital importância quando quer abrir uma franquia, porque deve ter bem ligado todos os aspectos económicos e de investimento.

É essencial conhecer claramente a nossa capacidade de investimento inicial. Muitas franquias caem quando a situação financeira não é completamente precisa e estável. Você deve saber com total segurança de onde virão os fundos; empréstimos, poupança, família, capital dos outros sócios, etc. Você também deve considerar como esse dinheiro será pago ou devolvido (incluindo juros) uma vez investido.

No início você tem que minimizar ao máximo as despesas. Se tiver de recorrer ao mercado financeiro para investimento, compare as diferentes taxas de juro e seleccione as mais baixas que oferecem as melhores facilidades de pagamento. Contrair uma dívida implica uma grande responsabilidade, por isso você deve ter tempo para procurar a melhor alternativa de financiamento e, antes de solicitar um empréstimo, certifique-se de que você será capaz de pagá-lo de volta no devido tempo. Não se esqueça que quando você começa é necessário fazê-lo com margem suficiente para não se afogar nos primeiros meses.

3. Conhecendo o sector a que nos queremos dedicar

Não só é necessário conhecer os aspectos gerais para montar uma franquia; qualidades, capacidades, investimento… Outro dos passos fundamentais é conhecer em profundidade o setor ao qual nos vamos dedicar. Embora existam setores que desenvolveram grandes expectativas e geraram uma evolução muito positiva, a eficiência se deve principalmente a cada insígnia em particular. Não é raro descobrir sectores constituídos por várias franquias, nos quais apenas um pequeno número delas oferece sérias possibilidades de sucesso.

Portanto, estude, leia, analise, um por um e em profundidade cada crachá, e você verá como você encontrará diferenças consideráveis entre franquias no mesmo setor.

É evidente que a força e a reputação de uma franquia é uma valiosa garantia de sucesso, mas também informe-se sobre as várias marcas que ainda estão na fase inicial e que estão conseguindo fornecer quantidades significativas de inovação, originalidade, invenção, melhoria e aprimoramento, tudo com resultados extraordinários.

4. Obter informações sobre as franquias escolhidas

O passo seguinte é obter as informações necessárias das franquias que selecionamos para um possível investimento. Conheça todas as peculiaridades, operações, riscos, compromissos, oportunidades e elementos essenciais incluídos em cada uma destas franquias. Não é supérfluo ter o apoio de um assessor especializado, tanto no início como durante o processo, que tenha conhecimento exclusivo das marcas.

Conhecer em profundidade o que a franquia pode nos oferecer como futuros empreendedores não é complicado. Actualmente, o mercado oferece uma grande variedade de: guias e directórios de franquias, revistas especializadas, portais especializados, feiras de franchising e empreendedorismo, seminários e apresentações específicas de franquias, múltiplas secções dedicadas ao franchising na imprensa geral e económica, blogs e redes sociais…

Como se isso não fosse suficiente, as principais empresas de consultoria, como a BeFranquicia, estão prontas para ajudar e informar, algumas delas com cobertura nacional. Em suma, o franchising faz parte da actividade empresarial, económica e informativa, estando presente em todos os fóruns e áreas de negócio.

5. Estudar o mercado em que vamos operar

Você deve conhecer seus clientes, fornecedores e, claro, a concorrência para tornar seu negócio mais competitivo. Ouça o seu ambiente, ofereça aos seus clientes o que eles precisam, crie relações lucrativas com os fornecedores e estude a estratégia da sua concorrência. Os clientes são a base da sua franquia, se você não os ouvir a concorrência vai e você vai colocar em um prato a transferência do seu mercado.

Desta forma, conhecer seus clientes, fornecedores e concorrência será essencial para tornar sua franquia competitiva e assumir o controle do mercado. Da mesma forma, a participação em eventos, feiras e franquias é uma excelente idéia para o recrutamento, além de livros e seminários que lhe permitem gerar estratégias a serem implementadas em seu negócio.

Em suma, analise as características internas tanto do negócio como do mercado em que pretende investir, tendo em conta o grau de adaptação ao mesmo do nosso perfil pessoal e económico. Um negócio de franchising bem sucedido e lucrativo só terá lugar se conhecermos o mercado e os nossos concorrentes.

6. Conversando com os franqueados

Ao selecionar uma franquia, não deve ser suficiente confiar apenas nas informações documentais fornecidas pelo franqueador. Você tem que contrastar esta informação com outros franqueados da cadeia.

Com a sua experiência, eles lhe fornecerão detalhes muito importantes sobre o controle da gestão pelo franqueador central, a ajuda na resolução dos problemas que podem ser gerados, a capacidade de comunicação e execução de ações de animação, marketing, monitoramento real da rede, entre outros.

Não hesite, se você já chegou a este passo, ligue para os franqueados que já investiram antes. Isto não significa falar apenas com os associados bem sucedidos recomendados pelo franqueador, mas também compartilhar informações com os franqueados que estão com problemas, e tentar descobrir porque não estão indo bem, para não cometer os mesmos erros ou simplesmente descartar a franquia.

7. Procure aconselhamento profissional

Finalmente, a menos que você seja um especialista, é praticamente essencial não ter aconselhamento profissional de consultores especializados em franchising. Um exemplo é a empresa de consultoria BeFranquicia. Graças aos seus serviços, eles lhe fornecerão uma avaliação objetiva que o ajudará a fazer a escolha mais apropriada para o seu caso particular. Dedique todo o tempo necessário para corroborar o que eles lhe dizem.

Um dos aspectos mais importantes é o contrato. Isto irá regular os direitos e obrigações do franqueador e do franqueado durante toda a duração da relação. A revisão por um profissional especializado em franquias, antes de assiná-la, é a melhor fórmula para evitar surpresas desagradáveis no futuro.

O contrato deve regular as condições nas quais o franqueado está autorizado a utilizar a marca do franqueado, a transferência de know-how e a assistência comercial ou técnica que deve ser prestada ao longo de toda a duração da relação contratual. A análise de cada contrato de franquia deve, logicamente, ser individualizada, mas aspectos como não concorrência, cláusulas de cessão, oferta e fornecimentos… podem ser uma aproximação dos assuntos sobre os quais é necessário aconselhamento profissional.