O que é ética empresarial? Definição, Visão Geral e Exemplo

ética empresarial

A ética empresarial tem uma influência significativa no mundo empresarial. Não só muda a forma como as empresas operam no dia-a-dia, como também influencia a legislação em torno da regulamentação corporativa. Descubra o que é a ética empresarial, porque é importante e como você pode detectar comportamentos éticos e antiéticos no local de trabalho.

Mais informações em https://melhoresinvestimentos.info/

A ética empresarial é o estudo de como uma empresa deve agir face a dilemas éticos e situações controversas. Isto pode incluir uma série de situações diferentes, incluindo como um negócio é governado, como as ações são negociadas, o papel de um negócio em questões sociais, e muito mais.

A ética empresarial é um campo amplo porque há tantos tópicos diferentes que se enquadram no seu âmbito. Ela pode ser estudada de diversos ângulos, seja filosófica, científica ou legalmente. No entanto, a lei desempenha de longe o maior papel para influenciar a ética nos negócios.

Muitas empresas alavancam a ética empresarial não só para permanecerem limpas do ponto de vista jurídico, mas também para impulsionar a sua imagem pública. Ela instila e assegura a confiança entre os consumidores e as empresas que os servem.

A idéia moderna da ética empresarial como um campo é relativamente nova, mas como conduzir eticamente os negócios tem sido amplamente debatida desde o surgimento da troca e do comércio. Aristóteles até propôs algumas de suas próprias idéias sobre ética nos negócios.

No entanto, a ética nos negócios como a conhecemos hoje surgiu nos anos 70 como um campo de estudo acadêmico. Como parte da academia, a ética empresarial foi debatida filosoficamente e medida empiricamente. À medida que este campo de estudo se tornou mais robusto, o governo começou a legislar sobre ideias de liderança na área, forçando assim as empresas a obedecerem a certas regras e regulamentos que eram considerados éticos.

Por que a Ética nos Negócios é Importante?

A ética nos negócios é importante por uma variedade de razões. Primeiro e acima de tudo, mantém o negócio a trabalhar dentro dos limites da lei, assegurando que não estão a cometer crimes contra os seus empregados, clientes, consumidores em geral, ou outras partes. Contudo, o negócio também tem uma série de outras vantagens que os ajudarão a ter sucesso se estiverem conscientes da ética empresarial.

As empresas também podem construir confiança entre a empresa e os consumidores. Se os consumidores sentirem que uma empresa pode ser confiável, eles terão mais probabilidade de escolher essa empresa em vez dos seus concorrentes. Algumas empresas optam por utilizar certos aspectos da ética empresarial como uma ferramenta de marketing, particularmente se decidirem destacar uma questão social popular. Alavancar a ética empresarial sabiamente pode resultar em um aumento da equidade da marca em geral.

Ser um negócio ético também é altamente atraente para investidores e acionistas. Eles terão mais probabilidade de afundar dinheiro na empresa, pois seguir as práticas comerciais éticas padrão e alavancá-los adequadamente pode ser um caminho para o sucesso de muitos negócios.

Seguir a ética empresarial também pode ser benéfico para os funcionários e operações da empresa. Atrair os melhores talentos é significativamente mais fácil para as empresas éticas. Os empregados não só apreciam um empregador socialmente consciente, mas também os perceberão como o tipo de negócio que irá agir no melhor interesse dos seus empregados. Isto produz funcionários mais dedicados e pode também reduzir os custos de recrutamento.

Quais são os tipos de ética empresarial?

A ética empresarial como campo de estudo é incrivelmente diversificada, mas muitos conceitos podem ser divididos em alguns princípios básicos. Todas as empresas devem se esforçar para seguir estas diretrizes na busca do sucesso.

Fidedignidade

Atingir a confiabilidade geralmente envolve ser transparente e honesto em todas as ações e comunicações. Ser de confiança pode ter um impacto positivo tanto interna como externamente. Os consumidores apreciam a abertura, pois ela lhes proporciona uma visão de como um negócio funciona e conceitualiza o trabalho que fazem. Os funcionários também apreciam essa qualidade em um negócio para o qual trabalham.

Respeito

Mostrar respeito por funcionários e clientes envolve o cumprimento de todas as promessas – e fornecer desculpas sinceras e remuneração apropriada se alguma coisa falhar. Mostrar falta de respeito irá dissuadir os clientes de se envolverem com um negócio e diminuir a reputação de um negócio. Também causará danos significativos ao moral dos funcionários e aumentará a rotatividade.

Equidade

Tratar clientes e funcionários com senso de justiça e justiça é um tipo de ética fundamental. Comportamentos manipulativos não são apenas antiéticos, mas são também inúteis – e a prioridade máxima de qualquer negócio deve ser a de ser útil aos seus clientes e empregados. Também é importante tratar todas as pessoas da mesma forma.

Cuidado

Os negócios, no final do dia, são compostos por seres humanos. Há seres humanos que consomem bens ou serviços do negócio, e depois há seres humanos que trabalham para produzir esses bens ou serviços. Estar aberto às suas lutas e vir à mesa com soluções mostrará empatia – uma ferramenta valiosa para qualquer negócio utilizar. Mostrar um sentido de cuidado e manter as linhas de comunicação não é apenas a coisa ética a fazer, mas também pode impulsionar as percepções internas e externas do negócio.

Exemplos de Comportamento Ético no Local de Trabalho

Embora a compreensão dos princípios básicos da ética empresarial seja importante, é sem dúvida mais importante compreender como estas ideias se aplicam às operações comerciais do dia-a-dia. Aqui estão alguns exemplos de como os comportamentos éticos podem ser aplicados na prática.

Colocando as Necessidades do Cliente em Primeiro Lugar

As empresas que constroem a sua cultura de trabalho em torno de colocar as necessidades dos clientes em primeiro lugar e contratar pessoas que se envolvem neste comportamento estão a participar em comportamentos éticos. Por exemplo, se um cliente entra em uma loja procurando um produto que atenda a necessidades muito específicas, é importante fornecer-lhe o melhor produto para a situação descrita, em vez de vendê-lo ou encorajá-lo a comprar um produto que não atenda às suas necessidades.

Entretanto, é importante assegurar que a atitude de “cliente primeiro” não resulte involuntariamente no tratamento antiético dos funcionários – como encorajá-los a trabalhar mais horas extras do que as permitidas, forçando-os a suportar abusos de clientes sem nenhuma maneira segura de escapar da situação, e muito mais.

Ser Transparente

Transparência e comunicação clara são primordiais quando se trata de comportamentos éticos no local de trabalho. Tanto os funcionários como os consumidores nunca devem ser enganados ou informados de inverdades, pois isso quebra a confiança dentro do negócio. Por exemplo, quando confrontadas com uma crise de relações públicas, as empresas devem convocar uma reunião e abordar o problema diretamente com seus funcionários. É importante descrever com verdade a situação à medida que ela se desenrola, apresentar soluções e aceitar as críticas com humildade.

Priorizando a Diversidade do Local de Trabalho

Parte de ser justo é proporcionar a todos uma oportunidade igual de ser empregado na empresa. Embora haja muito debate político em torno de como criar justiça no local de trabalho, é inegável que proporcionar igualdade de oportunidades de emprego a todos os candidatos é um padrão ético. Por exemplo, se alguém notar que a gerência tende a contratar o mesmo tipo de pessoa, pode sugerir que os funcionários se envolvam mais no processo de contratação. Isto irá introduzir diferentes perspectivas no processo de contratação e aumentar a possibilidade de diferentes tipos de candidatos serem selecionados para um cargo.

Respeitar as informações do cliente

Muitas empresas recolhem as informações pessoais dos seus clientes, quer se trate de informações de pagamento, informações de saúde ou similares. Uma das prioridades de qualquer negócio deve ser assegurar e proteger essas informações. Por exemplo, um hospital pode criar e aplicar políticas agressivas em torno de funcionários que compartilham informações sobre pacientes nas mídias sociais. Ter um funcionário compartilhando esse tipo de informação em suas contas pessoais não só desrespeita a privacidade do paciente, como também pode colocar o hospital em risco de violar os regulamentos da HIPAA.

Fornecimento de recursos para a denúncia de comportamento antiético

Se um funcionário notar um comportamento antiético no local de trabalho, ele deve ter uma saída para relatar esses comportamentos. A empresa é responsável por colocar essa infra-estrutura no local de trabalho e desenhá-la de forma a isolar o funcionário de danos. Por exemplo, uma universidade de pesquisa deve ter um escritório neutro de conformidade que seja organizado de forma independente do braço de pesquisa da instituição. Isso proporciona um espaço neutro onde os acadêmicos podem relatar estudos antiéticos ou práticas prejudiciais sem medo de repercussões no local de trabalho.

Exemplos de Comportamento Antiético no Local de Trabalho

Assim como é importante entender como aplicar praticamente o comportamento ético, é igualmente importante entender o que se qualifica como comportamento antiético. Aqui estão alguns exemplos do que podem parecer situações pouco éticas no local de trabalho.

Tomando o partido de um Argumento do Funcionário

Não é raro que surjam conflitos entre funcionários no local de trabalho. Eticamente, é tarefa da liderança e gestão da empresa permanecer imparcial durante estes conflitos. Por exemplo, se dois dos funcionários de um gerente estão em conflito, é importante que o gerente permaneça o mais neutro possível. Quando um gerente dá preferência a um funcionário favorito ou sênior ou fornece uma solução que só funciona em favor de uma das partes, ele está participando de um comportamento antiético. Eles devem permitir que ambos os funcionários falem a sua parte e depois chegar a uma solução que funcione melhor para ambas as partes, assim como para o próprio negócio.

Mentiroso

Mentir aos seus empregados ou clientes é a maior forma de quebrar a confiança. A confiança é a melhor fonte de dedicação e lealdade que qualquer negócio tem. Uma vez que essa confiança é quebrada, é extremamente difícil recuperá-la. Por exemplo, se uma empresa tem um funcionário de alto desempenho que está pedindo uma promoção, eles podem dizer que não há espaço no orçamento para uma promoção este ano. Alguns meses depois, outro empregado pode receber uma promoção. Dizer mentiras óbvias não é apenas antiético – vai afastar as pessoas do seu negócio.

Uso indevido do tempo da empresa

Este é um dilema ético comum que muitas empresas enfrentam. Muitos empregados abusam do tempo da empresa de várias maneiras, seja navegando na internet durante o horário comercial, fazendo intervalos prolongados, alterando folhas de horas, ou similares. O mau uso do tempo da empresa é antiético porque o empregado recebe um salário por um trabalho que não completou ou por um tempo que não dedicou ao seu trabalho.

Cultivo de um local de trabalho hostil

Apesar de haver algum conflito no local de trabalho, é importante tornar o local de trabalho um ambiente seguro para todos. Algumas empresas cultivam involuntariamente uma cultura empresarial hostil ou excessivamente competitiva. Por exemplo, os empregadores podem encorajar um ambiente pouco saudável e competitivo entre os empregados para impulsionar a produtividade e a inovação. Entretanto, cultivar esse tipo de ambiente pode tributar a saúde mental dos funcionários e até mesmo encorajar comportamentos antiéticos e sabotadores entre os funcionários que querem chegar à frente no trabalho.

Ignorando Conflitos de Interesses

Conflitos de interesse encorajam as empresas a agir de forma a não beneficiar os seus clientes ou funcionários. Por exemplo, se um gerente tem um parente como seu relatório direto, esse gerente pode tratar esse funcionário de forma diferente dos seus outros relatórios. É o dever da empresa lidar com esta situação. A remoção de conflitos de interesse pode tornar-se mais complexa quando uma empresa é negociada publicamente, sem fins lucrativos, ou recebe fundos de uma entidade governamental.